Dia Internacional da Mulher: história, beleza e diversidade feminina

Dia Internacional da Mulher: história, beleza e diversidade feminina

 

Comemorar resistência, valores, histórias, personalidades fortes, cuidados de mãe, atenção aos detalhes e amor ao mundo nos remete ao Dia Internacional da Mulher (que, inclusive, deveria ser feriado para toda a mulherada rsrs).

Seguindo a lógica do ditado “por trás de todo homem de sucesso tem uma grande mulher”, diríamos que por trás de todo o processo para se tornar mulher, tem muita dedicação, entrega e trabalho com a própria autoestima.

Neste dia 8 de março, nada mais justo do que evidenciarmos toda a beleza, delicadeza e diversidade que cada mulher tem, assim como toda a força conquistada ao longo da jornada.

Afinal, acreditamos veemente que ser mulher é renascer diariamente, regar a plantinha que existe em nós, lidar com monstros internos e externos, e lutar pela autoconfiança e independência almejadas.

Mas, perai! Você sabe como, onde e por que esta data foi instaurada? Vamos lá entender tudo e celebrar muito!

 

Manifestação de mulheres estadunidenses – 1970. Imagem: O Globo 

Quando tudo começou

Foi ao final do século XIX que uma parte expressiva da população norte-americana e europeia encontrou um meio de evidenciar e aclamar a luta das mulheres ao longo de todo o tempo.

As populações buscavam uma maneira ética, histórica e representativa de ressaltar a força e a coragem das lutas que exigiam melhores condições de trabalho, direito ao voto e à educação, fim da homogeneidade masculina, salários mais justos, paz, qualidade de vida e harmonia para todas.

O que de fato aquelas mulheres buscavam era ter o direito de ser quem eram e quem gostariam de ser – não por conta de padrões estéticos ou determinação de terceiros, mas sim por elas mesmas.

Assim nasce o 8 de março

Muitos pensam que tudo começou na cidade de Nova York, em uma fábrica têxtil, no ano de 1911. Devido à falta de segurança e más condições de trabalho para as mulheres, cerca de 130 trabalhadoras morreram queimadas.

Operárias norte-americanas trabalhando na fábrica – Anos 1900. Imagem: Fashion Bubbles

Maaaaaas, antes mesmo disso, mulheres estadunidenses e europeias já organizavam conferências e manifestações contra a jornada desumana de trabalho, a falta de segurança e o tratamento imoral.

A partir dali, do acidente em Nova York, que o mundo entendeu que era preciso mudar.

Foi exatamente em 8 de março de 1917 que 90 mil operárias russas saíram às ruas contra as ações de Czar Nicolau II. Nomeado como “Pão e Paz”, as exigências do Movimento eram por comida, condições de trabalho e contra a participação do país na Primeira Guerra Mundial.

Por meio de razões trabalhistas, que matavam e machucavam princípios de muitas mulheres, a data representa um marco histórico. Com o tempo, questões de gênero, igualdade, justiça e liberdade foram se fortalecendo.

Dia Internacional da Mulher – Créditos: Elas por Elas
Conheça as conquistas marcantes desde então

Cada vez mais a mulherada vem conquistando seu espaço e liberdade para mostrar ao mundo que, sim, ela pode ser quem é.

Dá só uma olhadinha em algumas conquistas importantes de toda a História:

No Brasil
  • 1932 – O voto das mulheres brasileiras foi instituído;
  • 1934 – Uma lei proíbe o trabalho de mulheres em indústrias que apresentem situações de insalubridade;
  • 1967 – Foi aprovado a redução do tempo para aposentadoria;
  • 1988 – Mulheres ganham o direito à educação, saúde, trabalho seguro, lazer, segurança e previdência social assegurados por lei;
  • 1988 – As mulheres ganham o direito de propriedade à terras urbanas ou rurais.

 

No mundo
  • 1945 – A Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo global que estabelece os primeiros princípios de igualdade de gênero;
  • 1977 – A data 8 de março foi reconhecida oficialmente pela ONU;
  • 1788 – Um político francês aclamado, chamado Condorcet, entrou na luta para reivindicar por direitos políticos, educacionais e trabalhistas para as mulheres;
  • 1874 – A primeira escola exclusiva para mulheres foi criada no Japão;
  • 1878 – Uma Universidade Feminina foi criada na Rússia;

 

Carta aberta da Clorofitum Cosméticos– Dia Internacional da Mulher

Ser mulher não se trata apenas de existir, mas de pertencer. Entre obstáculos e uma série de vezes que foi preciso resistir, vivenciar a experiência de renascer é transformador.

Com isso queremos dizer que nós, enquanto mulheres, temos um compromisso diário conosco: regar a plantinha interna da melhor maneira que pudermos. Afinal, não há ser vivo no mundo que sobreviva sem ser nutrido e cuidado com carinho.

Imagine só que dentro de você tenha uma plantinha que guarda suas histórias, sentimentos, lutas, angústias e alegrias. Ela também é responsável por sempre relembrar o que te faz se sentir viva e amada. Inclusive, é por meio dela que você faz resgastes de momentos, de lições já aprendidas e fases superadas.

Se um dia ela morrer, junto com ela vai grande parte de quem você é.

Então, regue-a, alimente-a, cuide dela.

Há pessoas que também a chamam de esperança. Preferimos chamá-la de planta justamente porque ela é viva, pode crescer rapidamente e morrer inesperadamente. Sabemos que ela só sobreviverá se for regada diariamente.

Que essa plantinha, ou esperança, sempre te lembrem que autoestima importa, que se olhar no espelho com respeito é deslumbrante e que jamais se deve duvidar da força mágica que sempre tivemos ao longo da história.

À você, mulher, nosso carinho de sempre neste Dia Internacional da Mulher.

Clorofitum

You May Also Like

Mensagem para o Dia dos Pais: leve o seu carinho em forma de presente!

Dia das Mães: garanta o presente mais cheiroso e exclusivo para a sua!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *